Frase andante

"Feliz é aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina." (Cora Coralina)------------------- "Educai as crianças para que não seja necessário punir os adultos." (Pitágoras)

=========================== Bem-vindo(a) =============================

ATENÇÃO. Este blog é apenas mais uma ferramenta de apoio complementar ao conteúdo do livro didático para auxiliar meus alunos e visitantes. Os vídeos e textos apresentados e indicados estão disponíveis na internet e são citados sempre com as referências e fontes. Que este blog seja mais um instrumento de aprendizagem e reforço de conteúdo para todos os visitantes. Seja bem-vindo(a).

====================================================

sábado, 10 de fevereiro de 2018

Maomé - civilização muçulmana.

Civilização muçulmana

Vídeos: Novo Telecurso - Ensino Médio - História - Aula 12 (1 de 2)

                       Novo Telecurso - Ensino Médio - História - Aula 12 (2 de 2)




Feudalismo e as cruzadas (vídeos)

Vídeos sobre o Feudalismo e as cruzadas.


Novo Telecurso - Ensino Médio - História - Aula 44



Feudalismo - resumo

FEUDALISMO

Início.
Com as invasões bárbaras, grande parte da população romana fugiu para as vilas romanas, grandes propriedades rurais, onde trabalhavam em segurança e davam metade do que produziam aos proprietários. É o sistema de colonato. Esta ruralização da sociedade seria a base do Feudalismo.
Na sociedade feudal, o senhor feudal tinha a posse da terra e o poder. O servo trabalha na terra do senhor. A terra é a fonte de riqueza no sistema feudal. Havia ainda os vilões, (pequenos proprietários que viviam sobre a proteção de um senhor) e os ministeriais (fiscais).
Os principais impostos (taxas) do mundo feudal eram: Corvéia (trabalho gratuito em certos dias da semana). Talha ( entrega de parte da produção do servo). Banalidades ( pagamento pelo uso de certos equipamentos: moinho, fornos). Mão-morta (imposto sobre a morte de algum servo para continuar a viver na terra).

Sociedade feudal.
Na Idade Média, a propriedade da terra definia a relação de poder. O feudo era dividido em manso senhorial (terras de castelos feudais), manso servil (terras em que os servos moravam e trabalhavam) e manso de reserva (terras comuns). No sistema feudal havia uma descentralização política, isto é, cada senhor feudal tinha plenos poderes no seu feudo.
A relação de vassalagem envolvia a concessão de terras. O Suserano era aquele que concedia a  terra e o Vassalo era aquele que recebia a terra. O Suserano garantia a terra ao Vassalo e lhe dava proteção e o Vassalo prestava serviços, pagava taxas aos senhores feudais. A relação de vassalagem envolvia um pacto e uma relação de reciprocidade entre Suseranos e Vassalos.

Igreja na Idade Média.
A Igreja, na Idade Média, acumulava bens e riquezas. A igreja era muito poderosa e controlava a vida do homem medieval. Na igreja havia o Alto Clero (religiosos que viviam com os nobres) e o Baixo Clero (religiosos que viviam com os camponeses). Assim, a Igreja estava presente em todos os setores da vida medieval.
Os religiosos que viviam em paróquias (bispos, padres e cardeais) eram chamados de clero secular. Em oposição aos abusos do clero secular, surgiu o clero regular, que era composto por monges que viviam nos mosteiros, estudavam as sagradas escrituras e faziam votos de pobreza.
Durante a Idade Média surgiu uma série de heresias (pensamentos contrários à Igreja) que foram combatidos violentamente pelo Tribunal de Inquisição, que julgava e chegava a condenar à morte os hereges.

Cultura na Idade Média.
Durante toda a Idade Média, a Igreja Católica detinha todo o controle do conhecimento, do saber e da produção cultural. Em muitas regiões da Europa, apenas os padres sabiam ler e escrever. Existiam poucos livros e eram produzidos à mão.
O poder da Igreja Católica atingia todos os setores da sociedade e era ela quem respondia por todas as dúvidas das pessoas. É o que chamamos de Teocentrismo (Deus é o centro de tudo), isto é, tudo deve ser respondido conforme a Igreja desejava.
       As construções das grandes catedrais mostram a importância da Igreja neste período. 
      Neste período surgem dois grandes estilos arquitetônicos: românico e o gótico

Idade Média e Feudalismo: vídeos.

Idade Média o o Feudalismo. Série Vestibulando Digital - História Geral (aulas 3 e 4)

 Vídeo 1: Feudalismo e crise da Idade Média.


Vídeo 2: Idade Média.

Império Bizantino - vídeo

Império Bizantino - vídeo
    
Império Bizantino - Professor Israel  -   http://www.youtube.com/watch?v=vhSj_f9WQ3I´ 


sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

História Antiga à Idade Média: transição (vídeo)

Vídeo: Entenda a transição do mundo antigo para o mundo medieval


http://g1.globo.com/vestibular-e-educacao/videos/t/disciplinas/v/entenda-a-transicao-do-mundo-antigo-para-o-mundo-medieval/1084994/?filtro=historia

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Para Refletir


O Analfabeto Político

O pior analfabeto
É o analfabeto político,
Ele não ouve, não fala,
nem participa dos acontecimentos políticos.
Ele não sabe que o custo de vida,
o preço do feijão, do peixe, da farinha,
do aluguel, do sapato e do remédio
dependem das decisões políticas.
O analfabeto político
é tão burro que se orgulha
e estufa o peito dizendo
que odeia a política.
Não sabe o imbecil que,
da sua ignorância política
nasce a prostituta, o menor abandonado,
e o pior de todos os bandidos,
que é o político vigarista,
pilantra, corrupto e o lacaio
das empresas nacionais e multinacionais.
                                                                                      (Berthold Brecht)


sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Dicionário temático ilustrado - atividade p/6º ano - 1º Bimestre

Atividade para 6º ano - 1º Bimestre

Dicionário temático ilustrado

Atividade adaptada do caderno do aluno (Secretaria da Educação do Governo do Estado de São Paulo). Produção de um dicionário temático da Pré-História com ilustrações.


1- Nomadismo: Prática dos povos nômades que não têm moradia fixa. No período pré-histórico do Paleolítico, o homem fica perambulando de um lugar para outro em busca de alimentos, proteção e melhores condições de sobrevivência.

2- Séculos: Período que contém cem anos.  Muito usado pelos historiadores para o estudo do nosso passado.

 3- Sítio arqueológico: Local onde há registro de uma antiga ocupação ou atividade humana. Nestes lugares, os arqueólogos estudam os vestígios deixados pelos nossos antepassados.

4- Pedra Polida: Período da Pré-História também conhecido como Neolítico. O  homem é  sedentário, já pratica a agricultura e domestica os animais.

5-Fósseis: Restos ou vestígios de seres vivos que habitam a terra em períodos geológicos anteriores. Preservados, principalmente em rochas, são objetos de estudos de pesquisadores.
   
6- Ampulheta: Aparelho utilizado para medir o tempo. Mede-se o tempo pela duração da passagem da areia de um compartimento para outro.

7- Neolítico: Período da Pré-História que começa com Revolução Agrícola, por volta de 10-15 mil anos. Caracterizado pelo homem sedentário, já pratica a agricultura e domestica os animais.

 8- Pintura rupestre: Pinturas feitas em rochas ou paredes de cavernas. Pinturas pré-históricas feitas no interior de cavernas e grutas.

 9- Clepsidra: Antigo instrumento suado para medir o tempo com base na velocidade de escoamento da água de um cone para outro cone. Relógio de água.

 10- Idade dos Metais: Parte final do Neolítico. Neste momento, os homens pré-históricos já começam a desenvolver instrumentos derretidos e fundidos de metais, primeiro o cobre e depois o bronze.

 11- Fontes históricas: Todos os instrumentos utilizados pelos historiadores para estudar o nosso passado. Essas fontes podem ser visuais, materiais, escritas, orais, musicais, audiovisuais, iconográficas, etc.
   
12- Sedentarismo: Modo de viver de povos que têm moradia fixa. No período pré-histórico do Neolítico, o homem torna-se sedentário, pois já pratica a agricultura, domestica os animais e deixam de circular de um lugar para o outro.
  
13- Paleolítico: Período da Pré-História que começa com o surgimento do homem e dura até a Revolução Agrícola em 10-15 mil anos aproximadamente. Caracterizado pelo homem nômade, com fala pouco articulada, não domina a escrita e se alimenta de raízes, frutos, sementes e caça de pequenos animais.

14- Zoólito: Artefatos construídos pelo homem na Pré-História. Os primeiros artefatos foram objetos de pedras para cortar, raspar, moer, quebrar semente e também para sua defesa.

15- Pedra Lascada: Período da Pré-História também conhecido como Paleolítico. Neste período o homem é nômade, se alimenta de raízes, frutos, sementes e caça de pequenos animais.


O mundo árabe: Maomé. Cruzadas

Maomé  e as Cruzadas


1.      Maomé – Mundo árabe.
 Maomé, nascido em Meca (ano 570), teria tido um  certo dia uma visão do arcanjo Gabriel que lhe teria dito: “Maomé, tu és o profeta do Deus único, Alá”. A partir disso, Maomé começou a pregar o monoteísmo. Não foi aceito em sua cidade (Meca) e no ano 622 fugiu para a cidade de Medina. É o que chamamos de Hégira.
No ano 630, Maomé voltou para acidade de Meca e começou a expandir seu império. Pregava cinco orações diárias, jejum, dar esmola, visitar a cidade de Meca pelo menos uma vez na vida e se dedicar à expansão do islamismo.
Após a morte de Maomé, os Califas (sucessores de Maomé) expandiram seus territórios e conquistaram o Oriente Médio, partes da África e Europa. A partir de 732 os seguidores de Maomé começam a ser derrotados e a perder os territórios conquistados.

2.      As Cruzadas.
 As cruzadas foram expedições organizadas com objetivo de conter o avanço dos muçulmanos,  de difundir a fé cristã e libertar a Terra Santa (região de Jerusalém) das mãos dos muçulmanos.Muitas pessoas, sem terras e sem proteção dos senhores feudais, ingressaram nas cruzadas. Assim, as cruzadas podem ser entendidas como uma tentativa  de solução para diferentes setores da sociedade: econômicas (objetivo de conseguir terras e riquezas no Oriente), religiosas (objetivo de libertar Jerusalém dos muçulmanos).
Entre o final do século XI até o século XIII foram organizadas várias cruzadas rumo ao oriente, mas não tiveram sucesso. Mesmo não tendo alcançado os objetivos propostos, as cruzadas produziram os seguintes efeitos: reabertura do Mar Mediterrâneo, contatos com novas culturas, aumento de circulação de pessoas e riquezas na Europa, renascimento comercial e urbano.

Os romanos e os povos invasores


Os romanos e os povos invasores

Os povos invasores, chamados de bárbaros, foram os grandes responsáveis pela derrota dos romanos, apesar da grandiosidade de Roma. Mesmo vencendo os romanos, os bárbaros viviam de maneira bem diferente dos romanos.
1. A vida cotidiana dos romanos.
Os romanos construíram um dos maiores impérios do mundo antigo, com cerca de 54 milhões de habitantes. Roma, no centro desse império, recebia influência dos mais diversos povos, sobretudo dos gregos.
Os romanos construíram por todo o império inúmeros templos, termas, anfiteatros, aquedutos e monumentos. Em estilo grandioso, eles muitas vezes impressionavam os povos dominados, representando a riqueza e o poder de Roma.
Os romanos adoravam relaxar o corpo nas casas de banho, nos chamados balneários, principalmente á tarde.
Os balneários eram construídos pelo Estado e ninguém pagava para entrar. Só que nesta condição: homens e mulheres não podiam se misturar. Havia a hora do banhista e a hora da banhista. Em Roma existiam centenas de balneários, espaçosos, com jardins, ginásios para jogos ou ginástica, bibliotecas (...).
2. A vida cotidiana dos povos invasores.
Os povos invasores, como os germânicos, de maneira geral, viviam em aldeias rurais. Mesmo depois de terem invadido o império romano, mantiveram-se afastados das cidades.
Nessas aldeias, as casas eram construídas em madeira e revestidas de barro. A maior casa da aldeia pertencia ao chefe e ficava isolada.
Os povos germânicos criavam  gado bovino, do qual aproveitavam o couro, a carne e o leite. Embora considerassem a criação de gado mais importante do que a agricultura, não deixavam de cultivar trigo, cevada, centeio, ervilha e feijão. Os homens adultos dedicavam-se às expedições de pilhagem e à caça.
Em tempo de guerra elegia-se um chefe militar, ao qual atribuíam poderes. Esses poderes, no entanto, cessavam, uma vez terminada a guerra.

Diferenças ente os romanos e os povos bárbaros
ROMANOS
POVOS INVASORES
1. Viviam principalmente nas cidades.
1. Viviam em aldeias rurais, em casas afastadas uma das conutras, construídas de madeiras e revestidas de barro.
2. Valorizavam mais a agricultura
2. Valorizavam mais a criação de animais.
3. Os chefes militares muitas vezes  tornavam-se governantes
3. Os poderes dos chefes militares terminavam após a guerra.

Fonte: História e Vida Integrada. 5ª série. Nelson Piletti e Claudino Piletti. Editora Ática..

A “Pré-História Brasileira”

6º ano  Fund-II  - A “Pré-História Brasileira”

A “Pré-História Brasileira”

A – Da África para o mundo.
A maioria dos estudiosos concorda que o local de origem do ser humano é a África. A partir da África, os primeiros humanos espalharam-se pela Europa e pela Ásia e finalmente chegaram à América (Brasil), em um processo que durou milhares de anos.
Há duas hipóteses principais para explicar os caminhos percorridos pelo homem para chegar à América: 1- Chegaram à América por terra, depois de atravessar o Estreito de Bering, situado entre a Sibéria (Rússia) e o Alasca (Estados Unidos). 2 – Chegaram à América por mar, vindos da Oceania. E, depois de atravessar o Oceano Pacífico navegando de ilha em ilha em pequenas embarcações, desembarcaram no continente americano. Isto teria ocorrido entre 15mil e 12 mil atrás.
Já a brasileira Niede Guidom e sua equipe descobriram no Piauí (Brasil) pedaços de pedra lascada e vestígios datados de 50 mil anos e que marcam a presença do homem no Brasil desde esta data. Muitos estudos e pesquisas sobre estes vestígios ainda estão sendo feitos.

B – Os povos dos sambaquis.
Há cerca de seis mil anos, o litoral do Brasil atual, entre o Espírito Santo e Santa Catarina, começou a ser ocupado por povos que tinham como alimento principal a pesca. Estes homens ficaram conhecidos como povos do sambaquis ou das conchas. As conchas vazias eram deixadas no chão e iam se acumulando. Com o passar dos anos, foram se formando verdadeiras montanhas de conchas, sobre as quais as pessoas construíram suas cabanas e enterravam seus mortos. Chamamos estas montanhas, com até 30 metros de altura, de sambaquis.
Há cerca de 2 mil anos os povos dos sambaquis desapareceram, provavelmente porque foram vencidos pelos grupos tupis, que na época se expandiram pelo litoral brasileiro.

C – Amazônia: Os marajoaras.
Os povos da região amazônica começaram a praticar a agricultura há cerca de 7 mil anos.  Eles desenvolveram cultivos próprios, como plantas medicinais, corantes e a mandioca. Suas cerâmicas estão entre as mais antigas da América e são de diversos tipos e formas: vasos, estatuetas, jarros, urnas funerárias, entre outras.
Foi na ilha de Marajó, na foz do Rio Amazonas, que a cultura marajoara se desenvolveu. Ainda não se sabe a razão de seu desparecimento, por volta dos anos de 1300 – 1400.

D – Os índios no Brasil na chegada dos portugueses em 1500.
            Quando Pedro Álvares Cabral chegou ao Brasil em 1500, estima-se que aqui viviam cerca de 8 milhões de pessoas. Os principais grupos indígenas que viviam no Brasil eram: Tupi, Aruaque, Macro-Jê e Caribe.
O primeiro contato entre os indígenas e os portugueses, ocorrido em 1500, foi de muita estranheza para ambas as partes, pois eram de culturas amplamente diferentes.
Os índios que habitavam o Brasil por volta de 1500 viviam da caça, da pesca e de agricultura rudimentar (cultivavam principalmente mandioca). Domesticavam animais de pequeno porte, como por exemplo, porco do mato e capivara. As tribos que aqui viviam possuíam regras políticas, econômicas e sociais. Praticavam guerras, alianças, cerimônias de enterro e casamentos.

Durante o processo de colonização do Brasil, os índios foram condenados ao trabalho forçado, mortos em conflitos ou morreram por doenças trazidas pelo homem branco. Assim os índios foram dizimados pelos portugueses. Dois séculos após a chegada dos portugueses, a população indígena já estava reduzida pela metade. Atualmente existem cerca de 200 mil índios no Brasil.

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Fim do Império Romano e início da Idade Média.

Fim do Império Romano e início da Idade Média: ficha  utilizada em sala de aula

1.  Os “bárbaros” e o fim da História Antiga.
                Os romanos chamavam de “bárbaros” todos os povos que não falavam sua língua (latim) e tinham hábitos e costumes diferentes dos seus. Os principais povos “bárbaros” eram os germanos, godos, anglo-saxões e lombardos. Os “bárbaros” eram politeístas, suas leis eram baseadas nos costumes, viviam da agricultura, pecuária e artesanato. Organizavam-se em tribos e o poder político era descentralizado.
2.  Os  períodos da Idade Média.
                A partir do fim do Império Romano, acaba a História Antiga e inicia-se a Idade Média (ano 476). O período da Idade Média durou aproximadamente mil anos (476-1453). A Idade Média é dividida em Alta Idade Média (até o ano 1000) e a Baixa Idade Média (até 1453).
·         Alta Idade Média (séculos V–X). A Europa se torna cristã. As pessoas moram no campo. As cidades e o comércio perdem a importância. Surge o Feudalismo.
·         Baixa Idade Média (séculos X-XV). Crise do Feudalismo. Transição da sociedade feudal para o Capitalismo.

Fenícia

FENÍCIA - Ficha (resumo)


Ewww.sergiohistoria.blogspot.com

                A Fenícia localizava-se no litoral do mar Mediterrâneo, em uma estreita faixa de terra ao norte da Palestina, onde atualmente está o Líbano. A relação próxima com o mar e a escassez de terra cultiváveis  levaram os fenícios a outras alternativas econômicas: desenvolveram a  navegação, dedicaram-se ao comércio e ficaram conhecidos por seus produtos manufaturados e pelo comércio marítimo.
                Politicamente, organizam-se em cidades-Estado. As mais importantes foram: Ugarit, Biblos, Sídon e Tiro.
A maioria dos trabalhadores era livre, e a economia permitia certa mobilidade social, embora os grandes empreendimentos comerciais estivessem concentrados nas mãos da elite.
No aspecto cultural eram politeístas, e o legado mais importante foi a criação de um alfabeto composto de sinais gráficos e fonéticos, chamados ideogramas.
  Fonte: História. Ciências Humanas e suas Tecnologias. Ensino Médio. Caderno de Revisão. Editora Saraiva.

Palestina

www.ohistoriador.com.br
PALESTINA - Ficha (resumo)


Os hebreus (antepassados dos judeus) fundaram o judaísmo, a primeira grande religião monoteísta (crença em um só Deus) e tiveram a crença religiosa como o grande fator de união, durante uma trajetória histórica marcada por migrações e perseguições. 
                Eles teriam saído do deserto da Arábia, deslocaram-se para a Mesopotâmia e alcançaram Canaã, território que depois foi chamado Palestina, região às margens do rio Jordão e onde hoje se situa o Estado de Israel. Posteriormente, migraram para o Egito, onde foram aprisionados e escravizados durante mais de três séculos.
                Entre 1300 a.C. e 1250 a.C., Moisés teria liderado a volta dos hebreus do Egito à Palestina (Terra Prometida) durante o chamado êxodo hebraico.
                Estabelecidos na Palestina, adotaram a monarquia como forma de governo. Posteriormente, o reino hebreu foi dividido em dois: Israel e Judá.
 Assírios, babilônios e persas passaram a disputar os territórios da Palestina. Os neobabilônios escravizaram os hebreus e os conduziram para sua capital, no episódio conhecido como cativeiro da Babilônia.
Ainda na Antiguidade, os romanos dominaram a região e passaram a perseguir os hebreus violentamente, expulsando-os em 70 d.C. , o que resultou na diáspora hebraica - dispersão dos judeus pelo mundo.
               Fonte: História. Ciências Humanas e suas Tecnologias. Ensino Médio. Caderno de Revisão. Editora Saraiva


.

Mesopotâmia

MESOPOTÂMIA - Ficha (resumo)

www.portalsaofrancisco.com.br

 A civilização mesopotâmica desenvolveu-se entre os rios Tigre e Eufrates, e diversos grupos lutaram pela posse de suas terras, dentre eles destacam-se os sumérios (responsáveis pela criação da escrita cuneiforme), acádios, amoritas (ou “babilônios”), assírios e caldeus (ou “neobabilônios”).
A base da economia era a agricultura. As cheias dos rios eram aproveitadas para a fertilização das terras, complementando esse processo de irrigação natural com a construção de canais e diques.   
No segundo milênio antes de Cristo, os amoritas assumiram o controle da região. O mais famoso soberano amorita foi Hamurábi, que fundou o primeiro Império Babilônico.  Entre suas realizações, destaca-se um conjunto de leis escritas – o Código de Hamurábi, no qual os crimes eram punidos severamente, na mesma proporção do mal cometido, de acordo com a lei de talião; “olho por olho, dente por dente”.
Com a morte de Hamurábi, o império passou para o domínio dos assírios, cujo poderio era sustentado pela violência e crueldades com que tratavam os povos dominados.
O Império Assírio foi derrotado por uma coligação formada por caldeus e medos, que submeteu a capital, Nínive, em 612 a. C., ao seu domínio. Sob o governo dos reis caldeus, a cidade da Babilônia voltou a se destacar como o principal centro urbano da região. No governo de Nabucodonosor, houve a construção do segundo Império Babilônico e foram erguidas as mais belas obras da arquitetura mesopotâmia na Antiguidade, destacando-se os jardins suspensos da Babilônia.
Depois da morte de Nabucodonosor, o Império Caldeu entrou em decadência e foi dominado pelos persas.  
              Fonte: História. Ciências Humanas e suas Tecnologias. Ensino Médio. Caderno de Revisão. Editora Saraiva.

Ficha – Os povos da Mesopotâmia - Atividade 6º ano

Ficha – Os povos da Mesopotâmia

A – Mesopotâmia: localização – mapa geográfico.

B – Sumérios: Fundaram as primeiras cidades na Mesopotâmia, por volta de 3.500 a.C. Eles foram os inventores das escrita cuneiforme.

C – Acádios: Conquistaram as cidades sumérias, entre elas Ur. Formaram o Primeiro Império Mesopotâmico e assimilaram a cultura suméria, como a sua escrita e religião.

D – Babilônicos: Comandados pelo rei Hamurabi, invadiram e dominaram toda região da Mesopotâmia.  Constituíram um Estado unificado e fundaram o Primeiro Império Babilônico. Criaram, também, um dos primeiros códigos de leis escritas da história.

E – Assírios: Dominaram a Mesopotâmia e fizeram da cidade de Nínive, sua capital. Eram guerreiros valentes e impiedosos e possuíam uma força militar extraordinária: soldados com armaduras, armas de fero, carros de guerra e cavalaria.

F – Caldeus: Após dominarem a região da Mesopotâmia, conquistaram, outras regiões, como a Síria e a Palestina, estendendo seus domínios até a fronteira com o Egito. O domínio caldeu teve fim com a invasão persa, em 539 a.C.


Mesopotâmia - vídeo II - 6º ano

                        6º ano - Mesopotâmia - vídeo II


                                                                                                 
                                                                                         Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=EckAThHkaVA

Mesopotâmia - vídeo

Vídeo do Telecurso - Mesopotâmia.



Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=jcFDuBByTXUhttps://www.youtube.com/watch?v=jcFDuBByTXUinte

O tempo em nossa vida cotidiana. - Atividade para 6º ano

O tempo em nossa vida cotidiana.


 Você já parou para pensar que temos que medir o tempo para tudo em nossa vida: tempo de férias, tempo de natal, tempo de dormir, tempo de irmos à escola?  Dividimos o nosso tempo também em horários. Temos horário para tudo: fazer as refeições, ir para a escola, chegar em casa? Quando alguém quer dizer que se atrasou, é comum ouvirmos a expressão “perdi a hora”.
Todas as nossas atividades estão relacionadas ao tempo.  Vivemos em uma época em que o tempo e suas medições são partes importantes do cotidiano. Na história do homem existem muitas maneiras de contar o tempo e foram inventadas diferentes formas de medir e registrar a passagem do tempo. Com esta preocupação da contagem do tempo, foram criados o calendário e também o relógio.
Agora vamos conversar um pouco sobre tudo isso. Com ajuda do seu professor, pense sobre o que acabamos de ler e depois faça a atividade indicada por ele. 
Não se esqueça  também de  ver o vídeo abaixo.


Atividade sobre o texto acima

Depois de lido, conversado e discutido o texto acima, faça a atividade abaixo com a ajuda do seu professor.

1-  Após ter lido o texto acima e com base no título e no assunto principal, crie um outro título para o texto.
RESPOSTA:______________________________________________________________


2- Com base na leitura do texto, qual o tema, ou assunto principal do texto?
RESPOSTA:______________________________________________________________
_________________________________________________________________________


3-  Conforme o texto, quais são os objetos que o ser humano usa para medir o tempo?
RESPOSTA:_______________________________________________________________


4 -  Que mudanças acontecem na natureza e que nos fazem perceber a passagem do tempo?
RESPOSTA:______________________________________________________________
________________________________________________________________________


5 -  O que demora mais para passar: cinco minutos no recreio da escola ou cinco minutos na cadeira de um dentista? Por quê?
RESPOSTA:________________________________________________________________________________________________________________________________________





                                                fonte: www.historiaparao6ano.wordpress.com

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Fim de férias. Início das aulas.

Fim de férias.
Volta às Aulas

http://www.glimboo.com/imagens_volta_as_aulas.php
Bom retorno para todos nós.